A Decadência Do Muffin

27.6.14

Eu comi o meu melhor amigo...

Há quem diga de que era um cupcake, embora aquilo fosse um muffin solitário amolecendo na mesa. E ainda há quem diga, que não exista diferença alguma entre esses dois pequenos. Então eu aqui, sozinha, definhando na cadeira, em protesto, defendo as duas raças afluentes de massas; muffin é como pão, pesado, e o recheio está na mistura da massa. Cupcake é como bolo, delicado, o recheio é aplicado depois de pronto. A única característica que ambos compartilham é o formato. 
Assisto sua cruel decadência solitária enquanto ele assiste a minha. Sou o penteado destruído, o salto quebrado, a maquiagem borrada de fim de festa. Sou a ressaca do dia seguinte, a pior espécie de desanimo contagiosa existente. Com um olhar morto e um sorriso condescendente, porém amarelo, capaz de infectar qualquer um com meu mau-humor intrínseco. 
Quando, penso eu deveria sair
Quando fora penso eu deveria ir para casa. 
Nunca sei exatamente o que quero e essa falta de objetivo me tortura. O pior é quando estou em festas. Eu não sou legal? Eu sou legal, diz que sou legal. Eu... levanto e derrubo copos, ou as flores, eventualmente saio arrastando comigo o pano da mesa. Tudo isso acontece quando estou de mau humor. 
É possível sentir o meu efeito negativo sob as pessoas, algo que chega a me incomodar, por outro lado, fico grata por não ter que lidar com elas.
Pessoas passam pela mesa, riem, tiram fotos com os amigos e pondero sobre um possível resgate do pequeno muffin. 
Só você me entende pequena bola de trigo, leite e ovos. 
Mas tudo fica tudo bem e tão bem fica quando estou na companhia de um amigo. 
É como se criássemos uma cúpula própria erguida com piadas internas e risadas, não ligamos para ninguém ao redor, nossas atenção é voltada um para o outro, em plena sincronia. Mas naquela noite eu estava sozinha (exceto pelo muffin).
Depois dessa noite, cai na cama, cai no sono, tive um sonho, e é bom estar triste, é bom senti-la, para poder um dia, reconhecer a felicidade, é bom estar triste e sozinho para fazer uma nova amizade (como a minha e a do muffin), é bom estar triste para conhecer melhor nossos sentimentos, nossos limites, pois somos aqueles melhor nos conhecemos, e ninguém nunca lhe conhecerá por inteiro, só você mesmo, e há algum outro fiel confidente, amigo presente do que você mesmo? 
Mesmo que você comece a conversar com um muffin no meio de uma festa por mensagens mentais, ele nunca te entenderá, porque o único que conhece seus conflitos internos é você mesmo, portanto você será o único capaz de resolve-los.  
No final somente um de nós dois teve um final feliz. 
Eu fui para casa. 
E o Muffin... Bem, para o meu estômago.

KIM.

Comente com o Facebook:

0 comentários :

Postar um comentário

Você não precisa de um blog para comentar <3
Pode comentar a vontade, dar sugestões bater um papo comigo e fazer criticas desde que essas acrescentem alguma coisa. Sinta-se em casa, só não vale ser grosseiro tá?