The Classics: Sixteen Candles

26.9.14


Tenho um fanatismo por tudo que é antigo, não é diferente com os filmes é claro, e muito antes da Disney dominar a área de clássicos adolescentes como High School Musical e Camp Rock, filmes assim minavam nos anos 80. Quem já assistiu Easy A (A Mentira), sabe muito bem do que estou falando, Easy A relembra e faz referência alguns clássicos como Curtindo a Vida adoidado (meu favorito!) e The Breakfast Club (O clube dos Cinco). 

Estou abrindo essa coluna, The Classics, para apresentar a vocês vários de meus cruches por filmes de duas décadas, até três décadas atrás, aprendemos bastante com filmes e as lições mais antigas ainda são as melhores.



Prefiro assistir os 80's teen movies do que aos filmes que a Disney tem produzido ultimamente, e aos que as outras produtoras nos fazem engolir, é tanto filme ruim, forçado e repetitivo que ao assistir Sixteen Candles, por exemplo eu fico fascinada pela simplicidade como o humor é feito e todos os outros aspectos, o romance, a vida na escola, os corredores com paredes revestidas com armários, as roupas. CEUS! As roupas, o estilo da época fica bem claro na abertura do filme, pés mexendo para lá e cá, chicletes... Não sei se vocês já notaram, mas as roupas que os adolescentes usam em algumas séries da Disney e da Nickelodeon são peças que jamais usaríamos, bem, não é para tanto, peças que nós adolescentes definitivamente não usamos. Enfim, dê uma olhada aqui:



Eu fico impressionada, estão achando que somos idiotas né? , porque a Disney faz filmes tão parecidos descaradamente, por exemplo Monte Carlo e e Lizzie McGuire Viaja a Roma. Mas, sim, voltando a Sixteen Candles, que no Brasil ganhou a tradução ridícula de Gatinhos e Gatões, é estrelado por Molly Ringwald que também atua em The Breakfast Club, é a segunda filha de um casal de quatro filhos, uma garota como qualquer outra, que preocupa-se com o corpo, idade. Mas o que realmente me chama a atenção na Sam é que ela não é patricinha, convencida, nem decidida, não é aquela personagem profunda, ela é o cansaço e a expectativa da vida adolescente, você não a odeia nem a ama, você se identifica.  


A trama inicia-se quando a ruiva Samantha Bake, desce do seu quarto e descobre que ninguém, nem mesmo a sua mãe lembra-se de seu aniversário de dezesseis anos  Estudante do segundo ano do ensino médio a "Sam" Baker luta para passar o dia em seu aniversário de 16 anos, que toda a sua família se esqueceu porque sua irmã mais velha, Ginny, uma verdadeira boneca, loira de olhos azuis, vai se casar no dia seguinte. 



Ela tenta ser compreensível, mas é difícil ignorar quando se chega a idade mais importante de uma adolescente americana, os tão sonhados 16.  
Para ignorar, durante a aula ela responde um questionário feito por sua amiga, uma espécie de questionário ''sexual'' com perguntas íntimas, como por exemplo, Com quem você gostaria de transar? a resposta é clara, JAKE RYAN! Um garoto do último ano, bonito, e que não quer garotas festeiras como a sua namorada ''miss perfeição'' , mas quer namorar sério. Para enviar o questionário de volta à sua amiga, Sam finge espreguiçar e deixa o papel cair no chão, o problema é que sua amiga estava dormindo e não vê o papel. Na saída ela entra em pânico ao saber que sua amiga não recebera o papel. 

Adivinha quem pegou o papel do chão...  


Ela tem todo um novo conjunto de problemas, quando ela chega em casa e descobrir todos os seus quatro avós estão ficando na casa Baker durante o casamento. Pior ainda, um conjunto de avós trouxe ao longo de uma estudante de intercâmbio bizarro, Long Duk Dong. E no jantar seus pais tem a adorável e genial ideia de deixar Dong acompanhá-la no Baile da escola naquela noite mais tarde, baile em que ela assiste Jake e a sua namorada miss-perfeição dançarem, seus olhares se cruzam, porém ela prefere correr para um corredor vazio e chorar. Enquanto Dong dança com seu par, uma garota assustadoramente alta e esquisita. 



O que Sam não sabe, é que , por intermédio de Ted um nerd que flertava com ela no ônibus, Jake sabe da existência dela, e de repente o único objetivo de Jake é saber quem é Samantha, qual o número de Samantha, onde Samantha mora, onde está Samantha, vira um Looking for Samantha praticamente. 



O legal do filme é que ele mostra que temos que arriscar um pouco sabe, Sam não faz isso no filme, não é algo explícito, mas e se não tivesse ocorrido o incidente com o papel? Jake nunca saberia que Sam estava afim dele. E se você não falar, a outra pessoa nunca vai saber (afinal não lemos mentes, né). 


A cena clássica do filme é a de Jake esperando Samantha, encostado no seu carro vermelho. Esperando ela, com quem ele nunca havia trocado uma palavra sequer. 


Mas a cena em que tudo se encaixa, a cena perfeita, a cena em que vomitamos arco iris e beijamos unicórnios, a cena em que se entende o título do filme, é a de desfecho (o melhor guardado para o final, muahahah) quando (finalmente) Jake e Samantha se beijam, lentamente, hesitantemente, romanticamente acima de um bolo de aniversário com dezesseis velas. 



Assistam, e digam o que acharam, me siga no twitter, curta aqui, comente, me encontre no instagram... ~eu achando que tenho um Vlog no Youtube.

Agora é sério, assistam. 

KIM.

Comente com o Facebook:

2 comentários :

  1. Eu amo os filmes dos anos 80 e 90 e ainda não assisti esse. Porém, eu não posso também dizer que o que a Disney faz é uma merda porque Disney é Disney haha. Mas não é tudo que eu curto também.. Tipo, eu não gosto de Camp Rock e Monte Carlo. Mas Lizzie eu gostooooooo <3 HILARY! E outra: como não amar Easy A? \o/

    http://quasedemanha.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. TAM TAM Lizzie é a Queen da Disney (super fã dela) que brilhou nos anos 90. A Disney sempre terá um lugar especial em nossas memórias, mas a qualidade de suas produções caíram bastante

      Excluir

Você não precisa de um blog para comentar <3
Pode comentar a vontade, dar sugestões bater um papo comigo e fazer criticas desde que essas acrescentem alguma coisa. Sinta-se em casa, só não vale ser grosseiro tá?