Resenha: Eterno Brilho de Uma Mente Sem Lembranças

30.11.14


Cuidado! Não é só porque você não entendeu que é ruim. Tive uma experiência maravilhosa num desses fins de semana, assisti Eterno Brilho De Uma Mente Sem Lembranças, título grande né? Tanto que ainda não decorei, então vamos fingir que somos velhos conhecidos e chamarei o filme só de Eterno Brilho por aqui, ok. Apertem os cintos, pois está é uma história meio confusa, afinal, desde quando a nossa mente é fácil de entender?

A primeira imagem corresponde a cena clássica do filme, é como o epicentro das memórias, a segunda é o dia em que Clementina e Joel se conhecem.

É um filme que se trata sobre a Expansão do Consciente Humano, uma vez que toda a história rola dentro da cabeça de Joel (interpretado por Jim Carrey), roteiro escrito por Charles Stuart Kaufman. E dirigido por Michel Gondry, uma união perfeita que sabiamente dosaram todos os termos filosóficos, equilibrando a confusão. 
Uma dica para quando for assistir é que as fases do relacionamento podem ser definidas pela cor do cabelo de Clementine (personagem principal interpretada por Kate Winslet), a cronologia segue em verde, laranja e por último azul. 
Outra dica: O começo é o fim do filme. Mas como assim? Simples, o começo é o fim do filme, preste atenção na cor do cabelo da Clementine e o resto fica mais claro no final. 

"Sou só uma garota ferrada tentando encontrar minha paz de espírito"

Clementine

Atuação Profunda de Kate

É impressionante como a gente subestima certos atores as vezes, né? E em como eles terminam nos dando um tapa na cara depois, só com Eterno Brilho Kate foi indicada para cinco premiações:  Oscar de melhor atriz, Globo de Ouro de melhor atriz - comédia/musical,  SAG Award de melhor atriz principal, BAFTA de melhor atriz principal e Satellite Award de melhor atriz em cinema. Alguma dúvida de que a atuação da assassina do Jack Dawson, foi excelente?

Jim Carrey mostrando toda a sua profundidade num personagem bem diferente dos que ele costuma encarnar.
Surpresa com tamanha comoção empregada por Carrey ao interpretar o Joel, um personagem solitário e sensível. 

Se conhecendo (de novo)
Emocionalmente retriado, Joel Barish e espírito livre irrestrito Clementine Kruczynski iniciam uma relação em um trem de Long Island Rail Road de Montauk, Nova Iorque. Eles são quase imediatamente atraídos um para o outro apesar de suas personalidades radicalmente diferentes. Embora eles não percebem isso no momento, Joel e Clementine são de fato ex-amantes, agora separados, depois de ter passado dois anos juntos. 
Bons momentos que também foram embora da memória
A ambientação do filme, cenário ilustrando toda a confusão e bagunça não só dentro dos apartamentos, mas dentro dos personagens também, é uma boa forma de ilustrar a mente humana, em várias cenas podemos ver areia dentro de um quarto, paredes pretas tomando forma, como se tudo estivesse indo embora para longe.  
Antes de terem o reencontro no metrô, depois de uma briga, Clementine contratou o escritório de Nova York Lacuna, Inc. para apagar todas as suas lembranças de seu relacionamento. Ao descobrir isso, Joel fica arrasado e decide se submeter ao procedimento, um processo que ocorre enquanto ele dorme.

As memórias começam a ser apagadas...
Mas no meio do caminho, dentro de sua mente, ele agarra-se a uma de suas memórias favoritas de sua vida com Clementine e quer voltar atrás, tenta salvar Clementine e esconde-la na sua infância. Grande parte do filme se passa na mente de Joel. Como suas memórias são apagadas, ele tenta contornar os efeitos de apagamento do processo, ocultando Clementine em partes remotas do seu subconsciente. Joel se encontra revisitando-os em sentido inverso. Ao ver tempos mais felizes de amor com Clementine de mais cedo em seu relacionamento, ele se esforça para preservar, pelo menos, um pouco de memória dela e de seu amor por ela. Apesar de seus esforços, as memórias são apagadas lentamente, com a última memória de Clementine dizendo-lhe: "Encontre-me em Montauk".

Não fique triste Little Joel
A infância dá o conforto  a infância é apresentada como salvação para todas angústias da fase adulta. Joel leva Clementine para as lembranças mais remotas de sua infância e lá tenta escondê-la, enquanto os apagadores tentam encontrá-la para apaga-la completamente.

Apesar dos esforços, Clementine se afasta

E de repente o filme torna-se uma caçada dos apagadores em busca de Clementine, enquanto Joel corre de mãos dadas com ela entre lembranças inconsistentes já destroçadas pelos apagadores. 


Joel encontra-se confuso; quer salvar Clementine em sua memória mas a medida que tenta esconde-la se lembra de como a relação dos dois era complicada, exaustiva e já estava há muito tempo desmoronando. 
 Sou uma pessoa louca, apenas querendo minha paz de espírito, não sou perfeita.
Clementine 
Todos os bons momentos se confundem com os insuportáveis.
 O título é retirado do poema Eloisa para Abelard por Alexander Pope, a história de um caso de amor trágico, onde o esquecimento tornou-se apenas o conforto da heroína;
Felizes são os esquecidos, pois eles tiram o melhor proveito dos seus equívocos. 
Feliz é o destino da inocente vestal, esquecida pelo mundo que ela esqueceu, brilho eterno de uma mente sem lembranças!
O filme mostra que nossos sentimentos estão ligados as memórias, assim como no filme/livro Doador de memórias. Joel e Clementine acabam descobrindo no fim que já se conheciam, não porque se lembraram mas porque tem outra pessoa que teve suas memórias apagadas por conta de uma história de amor que não deu certo.  

Super recomendo. Um filme daqueles que você não acredita no fim, um filme que te faz refletir, simplesmente o melhor. 


Trailer


Ficha Técnica

Lançamento: 2004
Direção: Michel Gondry
Roteiro: Charlie Kaufman
Gênero: Ficção Científica/Romance
Trilha sonora: Aqui

Nota Pessoal
★★★★★

Comente com o Facebook:

7 comentários :

  1. Pensa em uma pessoa louca por esse filme? Chorei, ri, acho que revelei todos meus sentimentos nesse filme!
    Muito boa escolha!

    https://correioeletronico.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  2. Esse é um dos meu filmes favoritos para a vida! Comecei a escrever um post sobre ele e nunca fui capaz de terminar, por não conseguir tirar de dentro de mim tudo o que me passa. É LINDO DEMAIS <3

    www.faltouacucar.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagino, é um daqueles filmes difíceis de falar, espero ter expressado bem todos os detalhes haha

      Excluir
  3. Vim mais curiosa por causa do lay, mas acabei me deparando com essa resenha super legal *-*

    Gente, eu amo esse filme! Acho esse diretor um gênio e ainda vi depois desse o "Sonhando Acordado" com o Gael García Bernal. Sou meio obcecada quando curto uma coisa, saio logo correndo atrás de tudo da pessoa haha.

    Parabéns pelo blog, lindo por fora e "por dentro"

    =*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou desse mesmo jeito! Não me contento, sempre procuro outras obras do mesmo autor, obrigada

      Excluir
  4. Fiquei super curiosa pra ver o filme. Adoro esses filmes diferentes, surpreendentes e esse parece ser bem assim.
    PS: nunca consigo imaginar o Jim Carrey fazendo papeis que não sejam de comédia, isso dobrou minha curiosidade haha

    Beijos
    Colecionando Primaveras
    Fanpage

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É o que todo mundo pensa do Jim, mas você vai se surpreender!

      Excluir

Você não precisa de um blog para comentar <3
Pode comentar a vontade, dar sugestões bater um papo comigo e fazer criticas desde que essas acrescentem alguma coisa. Sinta-se em casa, só não vale ser grosseiro tá?