Como aprendi a me amar?

23.1.15
Falei pra vocês que esse ano o blog estaria recheado de projetinhos novos e dessa vez o projeto é na realidade uma boa causa, depois de algumas conversas com a Carol (Carolice), pensamentos e sonhos parecidos a gente decidiu criar um projeto, um projeto que pudesse ajudar as pessoas a se aceitarem e se amarem do jeito que são, a princípio a Carol propôs um projeto com magrinhas mas percebemos que tem muita gente que é gordinha, alta, baixa, acha o nariz feio ou não gosta do cabelo e etc e decidimos que o projeto devia englobar não só as magras mas todas e todos que se sentissem ou se sentiram mal algum dia com sua auto-estima. O projeto "Me amo assim" tem o intuito de promover o amor próprio e exercitar mensalmente o tão desejado "Eu sou feliz do jeito que sou", todo mês faremos por meio de postagens coletivas e compartilhamos nas redes sociais o exercício de se auto-analisar e ver o que tem de bom, como algo libertador, soltar tudo de ruim pra fora e mostrar que dá pra ser feliz sim, apenas estando bem consigo mesmo. Se aceitar é o primeiro passo.
O tema da vez é bem reflexivo, porque muitas das gúrias que entraram no projeto não se amam 100% e sim isso é normal no começo, até eu fraquejo as vezes e rola dúvida sobre esse amor próprio, então a chave de tudo é exercitar dia após dia e criar um romance consigo mesmo.
Minha história com auto-estima é bem extensa por isso vou tentar resumi-lá da melhor forma possível.
Retirei do google (taielima)
Eu já nasci pesando pouco e minha mãe se refere da seguinte maneira "Você parecia um pedaço de papel, de tão magrinha que era.", sei que é verdade porque nas fotos de neném eu era muito magra, pele e osso mesmo e durante muito tempo não sentia apetite, já tive anemia por muitos anos e já passei por muitos médicos quando era criança, todos faziam exames, passavam vitaminas e receitas loucas para eu recuperar os nutrientes que faltavam, mas nada funcionava 100%, tomei Biotônico durante anos e não fazia efeito, minha mãe uma vez fez gelatina de beterraba pra tentar me incentivar a come-lá sem reclamar e deu super errado porque criei nojo de beterraba e só agora, adulta como esse tipo de verdura. Cresci, virei adolescente e ai foi onde tudo começou, aquele velho hábito que a gente encontra facilmente nas escolas, os apelidos maldosos, as piadas sem graça e a rejeição por parte de algumas crianças, eu nunca fui magérrima a ponto de adoecer por isso, mas sempre houve minha vida inteira piadas pesadas e percebi que isso não vinha só de crianças e sim de adultos, coisas do tipo "O vento vai te levar", "Meu Deus, se for mais magra some",  "Como você é magra!". O que acontece é que muita gente acredita que magreza é sinal de beleza, mas ouvir esse tipo de comentário não é legal pra ninguém, ninguém mesmo. Principalmente pra uma criança ou adolescente.
Os anos se passaram e as coisas mudaram pouco, ainda ouvia apelidos ou comentários desnecessário e maldosos mas tava aprendendo a não ligar tanto. Então veio o problema e complexo com tudo, com meu rosto, cabelo e ainda tinha o velho problema com o corpo (eu odiava o fato dos meus bracinhos serem tão finos). Eu via todas as minhas amigas com namorados e eu lá sozinha, apenas ouvindo outros garotos fazerem piadas entre eles e zombarem de mim, claro que eu não me importava com eles porque eram sempre meninos burros e sem capacidade de enxergar o próprio umbigo mas confesso que entre um cochicho e outro eu ouvi um "NOSSAAAAAA! Como essa menina é feia." e isso me magoou, magoou bem no fundo, principalmente porque eu não conhecia o garoto e isso latejou na minha cabeça durante muito tempo.
corações fofos que a Jana mandou pra mim ♥
Depois disso parei de grilar tanto com os comentários, e eles acabaram diminuindo mas não terminando e com esse bloqueio eu comecei a ouvir elogios das pessoas, aliás comecei a prestar atenção nos elogios. Eu não era toda defeituosa, algo de bom eu deveria ter e tinha. Elogiavam meu corpo, meus olhos (que durante muito tempo eu achei que eram muito arregalados) e até meu cabelo que não era nem liso e nem cacheado e Deus como eu odiava isso.
Passaram-se alguns anos e eu conheci meu primeiro e atual namorado, que acabou mudando o rumo das coisas e me deu muita confiança, porém acabei tendo uma grande decepção nesse meio tempo e fiquei muito desolada, triste e insegura e confesso que foi uma época sombria da minha vida mas relevei e segui em frente. Entrei na blogosfera porque queria mostrar minhas ideias com pessoas realmente interessadas nelas e com isso fui me aceitando pouco a pouco, a decepção que tive foi um estopim para eu ser confiante porque as vezes a gente passa por coisas que nem imaginava de um jeito tão forte que isso acaba nos dando segurança e sim isso foi um motivo, hoje dei uma engordada e não porque eu não estava satisfeita e sim porque estava abaixo do peso segundo meu IMC e eu, engordaria ou emagreceria sem pestanejar se isso fosse questão de saúde. É bom lembrar que para estarmos bem é necessário estarmos saudáveis antes de tudo. Precisei ficar triste pra me fortalecer e hoje ainda fraquejo com o amor próprio, ainda me questiono se sou segura de mim e quando esse pensamento vem eu exercito tudo de novo, paro na frente do espelho e repito quantas vezes forem necessárias "Eu sou perfeita! Eu sou perfeita!" "Eu me amo assim." e isso é o que me faz ter confiança, sair na rua e ouvir um comentário maldoso e ter pena de quem o fez, porque isso mostra como a pessoa é pobre, pobre de espirito e de amor próprio. Eu me amo em primeiro lugar! Aprendi e aprendo a me amar cada dia, é um exercício que a gente tem que praticar e não ter medo de dar errado.

Esse post faz parte do Projeto Me amo assim, acompanhe outras participantes

Engole teu coração e se ama por dentro.
-Caio F. Abreu

Comente com o Facebook:

29 comentários :

  1. Ual adorei o post, também sou bem magrinha, e passei quase OU as mesmas coisas que você, eram apelidos o tempo inteiro, o mais marcante, foi quando a minha irmã foi ao medico, e eu a acompanhei, o medico falo que eu parecia uma vara, que era mais magra do que a quina da mesa, sair de lá arrasada.
    Sempre fui uma pessoa totalmente sem segurança de si, sempre dependendo da opinião dos outros, sempre tentando mostra quem eu não era só para agradar os outros,mais chega, cansei de ser o que os outros querem.
    E para me sentir bem, e fazer os outros bem, também estava com um projeto para magrinhas, que ainda esta de pé, claro por que não?
    Quando vi seu projeto me encantei, era exatamente o que procurava,não curto muito participa de projetos, mais esse com certeza irei participa
    Beijos
    e sucesso com o blog linda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu entendo perfeitamente esse sentimento, espero que esse projeto ajude muitas meninas e que ajude você também Grazi. Muito obrigada
      Beijos

      Excluir
  2. Eu sempre fui magrinha e hoje estou bem gordinha, está sendo um baque para minha auto estima que já não era la grandes coisas, com isso venho ficando bem insegura com tudo na minha vida.
    Adorei essa ideia da Carol de falar dessa problema que chateou ela uma vida toda e de você agora contar um pouco da sua historia, isso ajuda a não levar tão a sérios nosso problemas corporais.

    Coisas de Mineira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu entendo bem isso, porque não entra no projeto e vem praticar o amor próprio conosco? Muito legal mesmo essa ideia, fico feliz que tú tenha gostado.

      Excluir
  3. Tenho um serio problema com auto-estima... Sofri muito bullying, mas foi pelo motivo oposto do seu.. Sempre fui mais gordinha e sempre tive muuuuuuuuuuuita bunda e coxa (algo que nao gosto ate hoje, na verdade ODEIO =[) o texto e o projeto estao incriveis! Ameiiiiiii, beijos Si

    www.girlsmachine.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jura Lare? Porque a gente é tão inseguro de nós, né? Espero que seu problema seja resolvido e que você se aceite 100% pra contar pra gente sua experiencia também. Muito obrigaada <3
      Beijos

      Excluir
  4. Amei post, só quem é magrinha, sabe o que outra magrinha sente ou passa e realmente amor próprio e auto-estima devem ser exercitados todos os dias.
    As pessoas são muito cruéis com o diferente, mas ninguém é igual a ninguém...
    Beijos!

    www.vanviroumodinha.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é verdade Van, as pessoas são cruéis mesmo.
      Beijos

      Excluir
  5. O bacana de ler um post assim é que você bem fundo na alma da pessoa que escreve. Me identifiquei muito com tudo o que li aqui e sabe, eu tive o mesmo problema, porém os apelidos eram diferentes, e ouvi muita coisa do tipo: "gordinha", "tu não é gorda, só cheinha", "dá licença sua gorda", "ela não pode entrar no meu time porque não vai conseguir correr atrás da bola, ela vai ser a bola na moral" e por ai vai. É triste pra caramba lembrar desses fatos do tempo de escola e agradeço todos os dias pelo fato de ter conhecido a Demi Lovato nessa época pois foi ela quem me ensinou a ter amor próprio e erguer a cabeça como se a opinião dos outros não importasse.
    Simplesmente amei esse projeto! Quando eu precisei a Demi estava lá me ajudando através de músicas e é muito bom saber que se tem alguém precisando de ajuda em relação ao amor próprio, ou apenas ler um "você é linda", tem gente como vocês por aqui para poder ajudar!
    Um beijo!! Até mais!
    www.compraseumfusca.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, isso é muito cruel como a Vanessa disse ali em cima e eu entendo muito isso. Muito bacana as músicas da Demi de alguma maneira terem te ajudado e óh saiba que tú é uma menina linda, tô babando nas suas fotos no blog <3
      Beijos e vamos levantar a bandeira de -ódio e +amor por favor

      Excluir
  6. Que bacana esse post Simone, isso tem que ser abordado mesmo, muita gente não se ama e seu depoimento é uma forma de motivação para as outras meninas mudarem suas atitudes e fazerem essa mesma técnica, se amarem, pensar assim.
    O problema é que a sociedade coloca um padrão de beleza e isso tem que ser quebrado, só vai ser se você querer!
    Eu também (até hoje) sou magra, tenho tendência a emagrecer, reconheço que tenho que esforçar para engordar um pouco mais e ninguém está imune a apelidos, me chamavam de esqueleto quando criança. Tenho parentes que ficam medindo o corpo e falam: nossa você emagreceu, tá magrinha..." Mas é algo que eu tenho que aceitar, porque não deixa de ser verdade. Porém posso mudar isso! Todas podem!

    www.universopraticofeminino.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso é verdade Sabrina, a mídia e as pessoas criam um padrão errado sobre o que é ser belo, cada um é belo da sua maneira e isso que torna cada pessoa especial, essa diferença e singularidade, então as pessoas tem que se amar por isso, sempre.
      Beijos

      Excluir
  7. Que texto mais amor! Uma vez alguém me disse assim: "O que os outros falam sobre você é problema deles e não seu!". Fiquei um tempão refletindo sobre isso porque eu me sentia mal com os que algumas pessoas falavam. É incrível como sempre a gente encontra alguém que lança palavras maldosas! Mas ao refletir eu conclui, entre outras coisas, que esse tipo de pessoa procura se sentir maior ao tentar diminuir os outros e que não havia nenhum problema comigo. Eu tenho saúde, eu tenho ótimos amigos e uma linda família, sou alguém que faz o que gosta e busco sempre conquistar os meus sonhos... E não preciso diminuir ninguém por ser quem se é. Até porque acredito que a verdadeira beleza é essa: "Ser quem se é!". Se a pessoa quer cortar o cabelo ou não, pintar ou não, se vestir assim ou assado, emagrecer ou engordar... É o jeito dela! E/ou a escolha dela. Isso é apenas uma parte porque o mais importante a gente passa a ver quando a conhecemos e interagimos com ela. :D

    O projeto é lindo e desejo que atinja positivamente muitas pessoas.

    Beijooos
    comvistaparavida.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Daiana, esse é um exercício bacana, aprender que o que as pessoas falam é problema delas e nem sempre elas tem razão no que falam, a gente tem que se amar, ser confiante e saber que sim, a gente tem muita coisa boa também e muita gente que gosta de nós do jeitinho que somos.
      Eu espero também ♥
      Beijoicas

      Excluir
  8. Adorei a ideia do projeto! Ainda dá pra participar? Eu sempre sofri muito, mas pelo motivo oposto, eu sempre fui gordinha e também sempre ouvia piadinhas de muita gente.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dá sim Bianca é só entrar no grupo do face <3 As pessoas são mal intencionadas e quem escuta acaba criando um complexo com o próprio corpo e isso é muito complicado.
      Beijos e tô te esperando no grupo hein

      Excluir
  9. Que post lindo, primeiro eu amei o projeto e já até fiz meu post a ideia é maravilhosa. E sua historia é otimo achei muito bom você ter conseguido passar por tudo isso e hoje em dia estar bem com o seu corpo. Também ainda fraquejo com o amor próprio mas costumo fazer como você me olhar no espelho e falar "está tudo bem eu me amo assim...". Texto lindo parabéns ah e eu amei seu cabelo <33333

    Please Mademoiselle

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso de fraquejar acho que faz parte, o que a gente não pode deixar é essa fraqueza nos dominar, fico feliz que você tenha gostado e espero verdadeiramente que ao final de tudo isso vocês saem mais confiantes de tudo, principalmente do que a gente pode fazer e ser se quiser. AHHH JURA? Obrigada sua fofa *-*

      Excluir
  10. Oi minha linda <3

    Minha mãe era mais sincera, dizia que nasci parecendo um ratinho haahah
    Eu aprendi que existem dois tipos de magro no linguajar da sociedade; O magro de magrelo, e o magro oposto de gordo. O que as pessoas não sabem, é que para os magros de magrelos, dói muito um xingamento ou um comentário do tipo: "Nossa, que magro você é!".
    E como você disse, Si, trabalhar no amor próprio não é fácil... Muitas vezes vacilamos mesmo. Por isso ele tem de ser trabalhado todo dia! Eu espero que nosso projeto consiga alcançar muitas meninas inseguras ♥ Sabemos o quanto é bom olhar no espelho e dizer #meamoassim!

    Beijos
    www.carolice.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi lindona!
      HAHAHA jura? OMG!
      Sim, dói muito e só quem passa por esse tipo de coisa sabe o quanto dói ouvir um comentário maldoso. Não é fácil mesmo, requer muita dedicação e foco. Eu também espero mesmo e tô super feliz que a essa ideia foi bem aceita pelas pessoas, obrigada por estar presente desde a época do tumblr, sua linda ♥
      Beijocas

      Excluir
  11. Amei seu post Si <3
    Sempre pensei que ser magra era fácil mas vejo que me enganei e que todas sofremos com nosso corpo.
    Ainda bem que já se aceitou,também estou nessa fase haha...
    Super beijo

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Si, adorei o seu texto falando sobre você começou a se amar.
    É difícil no começo, né? E os pensamentos sempre voltam e tal, a luta nunca termina. Mas, quer saber, a cada luta nós ficamos mais fortes e aprendemos a nos amar mais e mais e mais e mais, rs.

    Beijos.
    Visite: Coisas do Tempo

    ResponderExcluir
  14. Oi, Simone! Tudo bem? Tô amando participar do projeto!! =) Adoreeei o texto, e é claro q já tô seguindo aqui bjooo http://www.polyannacardinot.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Nossa é um belo projeto e tem o meu apoio :) Sempre escuto estes comentários também Simone, mas não ligo. Peso 32 Kg atualmente e não ligo para o que as pessoas pensam, não consigo engordar muito e mesmo que as vezes me sinto estranha por ser quem eu sou, me acho bela e isso é o que importa. :D Beijão Si, continue com o maravilhoso projeto.

    Cartas da (Minha) Natureza

    ResponderExcluir
  16. É lindo ver como apesar de toda negatividade que você recebeu, você ter crescido cheia de bem ai dentro. Continue sendo corajosa para enfrentar a negatividade e continuar semeando o bem, em você e em todos que estão a sua volta. Você é linda, por dentro e por fora *-*

    www.princesasadoradoras.com.br

    ResponderExcluir
  17. Vi em um blog sobre esse texto e vim fuxicar, no começo acredito eu que muitas pessoas tem problemas em relação a isso, eu de uma forma não gosto do jeito que se referem a minha pessoa, pq geralmente são comentários ofensivos e desnecessários, mas de ficar brava e querer matar todo mundo? Talvez, confesso que tinha minhas crises, mas nem eram por conta disso.Lembro que pegavam muito no pé por conta do cabelo, que vivia com transa ou preso, feia e coisas do tipo, com o tempo alisei o cabelo e enjoei, assumi meus cachos.. Aprendi que eu sou assim não posso fazer nada, eu me gosto, me amo assim não são comentários posteriores que iriam fazer eu não me gostar.. Minha mãe sempre diz que se a gente não se amar primeiro, quem vai nos amar?

    Bjos :*
    www.eraoutravez.com

    ResponderExcluir
  18. Amei o post, quero fazer parte deste projeto. http://cantinho-da-ivony.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Amei a ideia desse projeto! Mas não estou conseguindo encontrar a página do face... ela foi excluída?
    Beijos

    sublimarei.blogspot.com

    ResponderExcluir

Você não precisa de um blog para comentar <3
Pode comentar a vontade, dar sugestões bater um papo comigo e fazer criticas desde que essas acrescentem alguma coisa. Sinta-se em casa, só não vale ser grosseiro tá?