Resenha: CHEF

25.3.15


Se você comprasse um ingresso para assistir o show dos Rolling Stones e a porcaria do Mike Jagger não tocasse Satisfacition, como você se sentiria?
Por favor, se vocês não não souberem que música é Satisfaction vá agora no youtube e procure. 



Chef foi um daqueles filmes que provou que ter foco total na vida profissional ou em objetivos da vida não é saudável Carl Casper trabalha em um restaurante fino, conhecido pela comida saborosa e ótima de degustar, mas sua vida começa a mudar quando ele não tem o seu esforço reconhecido (sejamos sinceros, não é sempre que somos recompensados por nosso trabalho) por um crítico culinário. Chefes normais ficam furiosos, agora, Chefes como Carl Casper criam uma conta no twitter e revidam os ataques da crítica. 

Sem falar no faniquito que ele dá no restaurante depois de sua demissão. Outro ponto importante do filme é o uso do celular como instrumento de publicidade. A inserção dele na nossa vida e sociedade. É fascinante ver isso atraves das telas, já que vemos acontecer todos os dias e nunca como uma terceira pessoa, assistindo virais infectarem, noticias pegarem fogo, enfim. 



Mais um tópico importante é a paixão com que se cozinha, o cuidado que se dá a comida. Percebi o quanto estamos submersos nesse mundo de fast food, não comemos mais carne fresca! Tudo vem de uma caixa, de uma lata! Em Chef, Carl e seu amigo subchefe cubano Martin, preparam a carne, temperam a carne, assam a carne, e acho que isso, sem contar os dons culinários, é o que torna a comida mais gostosa. Todo esse cuidado + a publicidade barata já angariada com os videos do Carl tendo um faniquito com o crítico, as brigas online via Twitter e a página criada pelo filho do Carl no facebook relatando suas viagens na Florida e Luisiana, eles conseguem um público cheio de água na boca para provar seus sanduíches cubanos.   

Com toda a simplicidade e paixão, Carl começa a pensar que foi uma boa ideia ser demitido do restaurante. Fazendo e vendendo comida no trailer ele passa mais tempo com seu filho, que mesmo ficando todos os finais de semana com ele, Carl não tinha a minima ideia do que seu filho gostava ou fazia. A comida tem essa coisa bonita, através dos séculos unindo as pessoas por uma necessidade especial.



É engraçado, ASSISTA EM INGLÊS, em português não tem graça. Não é um dos melhores filmes que já vi em minha vida. Chef é uma daquelas obras que te fazem refletir. O que estou fazendo aqui? É isso o que realmente quero? 
Fazer essas perguntas a si mesmo é importante. 

Confesso que só assisti o filme por causa da Scarlet Johansson e do Robert Downey Jr. que foi apenas uma jogada de market para promover o filme (e deu certo). Scarlet é Moly e Robert D. é Martin L'amour, não aparecem muito no filme. Nem tem graça falar sobre eles, embora Martin L'amour tenha um papel realmente significativo na vida do Carl, é ele que cede o Trailer para que ele comesse uma nova etapa da sua carreira. 

Direção: Jhon Favreau
Gênero: Comédia
Duração: 1h54min
Ano: 2014
Nacionalidade: EUA
Trilha Sonora: Aqui
Nota pessoal: ★★★★★

Comente com o Facebook:

2 comentários :

  1. Adorei, parece ser muito bom e engraçado, vou anotar na minha lista de filmes.
    Bjs
    paposdakah.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Eu não botava fé nenhuma nesse filme e nem sabia dos famosos que estão neles, baixamos por acaso...MAS EU AMEI ESSE FILME!

    www.hipermetropiafashion.com.br

    ResponderExcluir

Você não precisa de um blog para comentar <3
Pode comentar a vontade, dar sugestões bater um papo comigo e fazer criticas desde que essas acrescentem alguma coisa. Sinta-se em casa, só não vale ser grosseiro tá?