A psicodelia dos 60's aos olhos de George Harrison

12.8.15

07 de agosto de 1967 -  George, Pattie & Derek Taylor visitam um local em Haight Ashbury chamado de "Hippie Hill", enquanto lá em uma visita a irmã de Pattie, Jenny, que estava vivendo em São Francisco no momento. Neil Aspinall executivo e produtor musical britânico também os acompanhou na viagem.

Que tal uma viagem no tempo?

Os anos sessenta é constantemente remetido as drogas, psicodelia, o despertar da consciência sobre guerras e liberdade sexual. Geralmente imaginamos os jovens da época numa esfera totalmente única com conexões jamais experienciadas por uma quantidade tão grande de pessoas, a harmonia, a irmandade, conceitos bonitos que nos faz pensar ''poxa deve ter sido bem legal viver nos anos 60'', mas tem uma declaração de George Harrison, guitarrista dos Beatles (meu beatle favorito, também) que simplesmente desmistifica essa atmosfera, os hippies dos anos sessenta não são muito diferentes dos dependentes químicos de hoje. 


"Quando eu fui para Haight Ashbury, esperei que fosse aquele lugar brilhante. Eu pensei que haveria pessoas do meio cigano tipo aquelas pessoas com pequenas lojas fazendo obras de arte e pinturas e esculturas, mas em vez disso, acabou por ser apenas um monte de vagabundos. E muitos deles, eram apenas crianças muito jovens que vieram de toda a América e caíram na graça do ácido e foram para esta meca do LSD. Descemos a rua, e eu era como, sendo tratado como, eu era o Messias ou algo assim. Eu estava realmente com medo, porque eu podia ver todos esses jovens manchados, e eles ainda estavam sob correntes de Beatlemania. A partir de um tipo de ângulo trançado. ''


''E havia pessoas entregando-me coisas. Como houve esse grande tubo, como um tubo grande indiano com penas. E livros e incenso e você sabe, todos os tipos de coisas, e tentando me dar drogas, você sabe, eu diria 'não, obrigado, eu não quero isso'. Nós estávamos andando mais rápido e mais rápido para atravessar o parque, e de volta para fora do parque e, no final, disse: "Vamos sair daqui" e voltamos para o aeroporto. O avião entrou em uma tempestade. E todo o painel se iluminou dizendo, "inseguro" através dele.

Ela certamente me mostrou o que estava acontecendo no culto de drogas, não era o que eu pensava, aquela coisa de pessoas tendo um despertar espiritual e artístico. É como qualquer outro vício.

Então, nesse ponto, eu parei de tomar, na verdade, o lisérgico. Foi aí eu realmente comecei a meditação. "

George Harrison, Haight Ashbury e sua visita ao Monte do Hippie em 1967

Essa declaração é super importante, quebra os legados com um tiro só. Talvez as gerações não sejam tão diferentes assim, continuam buscando pela mesma coisa: experiências novas, algo que os faça vibrar.


Comente com o Facebook:

0 comentários :

Postar um comentário

Você não precisa de um blog para comentar <3
Pode comentar a vontade, dar sugestões bater um papo comigo e fazer criticas desde que essas acrescentem alguma coisa. Sinta-se em casa, só não vale ser grosseiro tá?