Álbum Review: Another Eternity, perpetuando a técnica

17.3.16

★★★★★
Lançamento: 27 de fevereiro de 2015
Artista: Purity Ring
Gravadora: Last Gang Records Inc.
Gênero: Electronic dance music, Witch house



Tudo nasce em Heartsigh em gravidade zero e vai ganhando cor e forma ainda no escuro. A proeza estética é incrível. O uso de uma coisa tão simples como luzes realmente cria uma grande atmosfera no vídeo, juntamente com a justaposição de simplicidade e complexidade. Um microfone poligonal nas mãos da Megan e dançarinos brancos que parecem ter vindo de outro mundo... Sejam bem-vindos a 'Outra Eternidade' 




''E eu vou construir uma casa em torno de você
Mexa um fosso até que você se afogar''
Heartsigh 

Em Another Eternity, o duo Purity Ring negocia as atmosferas claustrofóbicas de Shrines (o álbum anterior)  escancarando vistas de som luminosas. Criando um universo lírico de dor, amor e sonhos, Megan James (a vocalista) empunha imagens concretas e metáforas ressonantes cada vez mais diretas. Corin Roddick, por sua vez, contribui para que a melodia evocativa permaneça intacta, mas o seu trabalho com as batidas eletrônicas e utilização do espaço foram completamente reforjadas e impecavelmente construídas e focadas.



''Eu menti, agora eu estou deitada acordada
Eu chorei até meu corpo doer''
Bodyache

'Bodyache' é a faixa devastadoramente infecciosa do álbum, nós faz flutuar num vazio escuro e perpétuo. A melodia chega a ser comparada ao trabalho de Grimes e classificada como Witch House onde a música é fortemente influenciada pela picada e parafusado hip-hop, sons ambiente escuro, e experimentação industrial e ruídos, e apresenta uso de sintetizadoresbaterias eletrônicasamostras de sons obscuros, monótona repetição e fortemente alterados, etéreos, vocais indiscerníveis. 



''Estive a ver você rastejar
Por volta dos meus pés errantes
Tentando por anos a fugir''
Begin Again

A abstração nas letras dar um efeito de esvaziamento para aqueles que tiveram um relacionamento mutuamente aprisionado. Uma espécie de praga recursiva na interação humana. Ela também dá ênfase em relações abusivas passivos dentro de um nexo emocionalmente expulso da linguagem e da desilusão. Verdadeiramente uma peça encantadora e misteriosa de arte. 'Begin Again' é uma analogia da dupla natureza dos relacionamentos. Como a lua e a terra exercem o seu próprio campo de gravidade em que empurram e puxam um contra o outro. Seu ciclo como um relacionamento onde você luta para em seguida, fazer as pazes.

É perceptível o foco exclusivo desse álbum em análises de relacionamentos, faixas como Push Pull, Sea Castle, Repetition seguem essa linha. É um bom álbum eletrônico para quem busca sensações novas.  

 
                                         FacebookSoundCloud|TwitterInstagramSite Oficial

Comente com o Facebook:

2 comentários :

  1. That was great but there is something wrong with the second video. I hope that you'll fix it somehow.

    ResponderExcluir

Você não precisa de um blog para comentar <3
Pode comentar a vontade, dar sugestões bater um papo comigo e fazer criticas desde que essas acrescentem alguma coisa. Sinta-se em casa, só não vale ser grosseiro tá?