A história esquecida das lésbicas em Londres, 1980

22.2.17
Alguns recortes da época
Rebel Dykes, é um documentário de longa-metragem que será lançado em 2017. O documentário é sobre um bando de mulheres kickass, duronas que viveram em Londres na década de 1980. O filme é dirigido por Harri Shanahan e Sian Williams, e produzido por Siobhan Fahey.
Antes de haver ativistas queer¹, antes havia Riot Grrls, havia os Diques Rebelde de Londres. Eram jovens, feministas, anarquistas, punks. Eles foram a primeira geração de sexo degredado, mulheres positivas, e nada tem sido o mesmo desde então.
Este documentário está sendo feito porque a história das Rebel Dykes de Londres dos anos 80 corre o risco de ser esquecida. É apoiado por uma comunidade online ativa de 200+ Rebel Dykes que se lembram daqueles anos e querem que você saiba sobre isso. Elas forneceram imagens, suporte, dinheiro e horas de trabalho não remunerado.
O filme será baseado em entrevistas com as Rebel Dykes originais. Ele usa animação lo-fi e imagens de vídeo recriadas de 1980 para recontar suas histórias. Ele também usa material de arquivo anteriormente não visto do período, incluindo fotografias, zines, música e folhetos. A trilha sonora é do indie feito por mulheres esquecidas e bandas de punk, remixado por Ellyott da irmã George e Night Nurse.

Você pode assistir ao trailer disponibilizado na Vimeo
Queer é um termo usado para designar pessoas que não seguem o padrão da heterossexualidade ou do binarismo de gênero. O termo é usado para representar gays, lésbicas, bissexuais e, frequentemente, também as pessoas transgênero ou transexuais, de forma análoga à sigla LGBT.
Seu significado inicial pode ser compreendido através da história da criação do termo, inicialmente uma gíria inglesa, que literalmente significa "estranho, talvez ridículo, excêntrico, raro, extraordinário". Movimentos homossexuais da época tendiam estar associados ao punk, o que só fortalecia a excentricidade das mulheres lésbicas da época.


Comente com o Facebook:

0 comentários :

Postar um comentário

Você não precisa de um blog para comentar <3
Pode comentar a vontade, dar sugestões bater um papo comigo e fazer criticas desde que essas acrescentem alguma coisa. Sinta-se em casa, só não vale ser grosseiro tá?