Loucura é achar isso normal

15.8.17
Foto:  David Samulionis | Mãos: Lúcia Robertti
Você provavelmente em algum momento da sua vida se viu fazendo algo que não gostava simplesmente porque tinha que fazer? Imagino que em algum momento você esteve em um trabalho que não gostava, em uma festa que não queria ir ou fazendo um curso que não tinha nada a ver com você, pelo simples fato que as pessoas te fizeram pensar no quanto aquilo era necessário. É estranho pensar assim, afinal, não dá pra fazer tudo que gosta. Sim, esse é um fato, existem coisas na nossa vida que realmente não temos pra onde correr e existem coisas ruins que a gente tem que passar para tirar uma lição boa. 
Mas eu me pergunto, quem é que ensina pra gente que temos que aceitar uma coisa merda e achar normal? É normal se sentir mal em um emprego todos os dias que você se levanta? É normal se sentir um fracasso todas as vezes que acaba a aula e você percebe que esta estudando desesperadamente porque fazer teatro não dá dinheiro? É normal você estar em uma festa e desejar o tempo inteiro a sua cama porque aquele lugar não tem absolutamente nada do seu mundo? A gente se acostuma com umas coisas que eu mesma me pergunto como somos capazes de não questionar.
Você acha que esta seguro no seu emprego horrível que mal dá pra pagar as suas contas porque você tem medo de investir em uma loja de roupas para cachorros fofinhos, mas você se esquece que seu emprego seguro não vai pensar duas vezes antes de te dar um pé na bunda e destruir o mínimo de dignidade que você construiu achando que estava apenas garantindo seu futuro.
Você acha que esta seguro fazendo um curso de exatas porque "Nunca falta emprego na área" mas você se esquece que a qualquer momento o mercado de trabalho vai te pedir mais e mais e que aquele curso que você fez por fazer não vai valer muita coisa.
Você acha que esta seguro indo para uma festa que não gosta e que não tem nada a ver com você porque "As pessoas de hoje em dia são assim, tenho que me adaptar".
E eu me pergunto, quem ensina isso pra gente? Quem ensina que a gente precisa matar os nossos sonhos e desejos porque aquilo parece o certo pras pessoas, mas é tão errado pra você?
Você tenta não se importar quando compartilha seu pensamento sobre tudo que te aprisiona, você tenta não ligar quando as pessoas dizem que você é maluca por querer trocar um curso "garantido" por um curso que não dá dinheiro, e no fim você se importa tanto com a opinião dos outros que desiste, que se força a estar em uma coisa que você sabe que não é certa para você.
E onde eu quero chegar com isso? A gente aceita cada coisa porque fica nessa psicose do que o outro vai achar, "e se falarem isso e se acharem aquilo" mas eu te pergunto, quantas vezes desde que você se viu cercado por coisas que não condiziam com o seu real interesse, você parou e ouviu o que você mesmo achava? É estranho colocar assim, mas a gente se prende tanto no que dizem que se esquece de ouvir a única pessoa que realmente importa. A gente liga tanto para o que os outros dizem e liga tão pouco para o que a gente mesmo acha. Tá tudo errado e não, isso não é normal. 

Comente com o Facebook:

2 comentários :

  1. Esse texto é excelente!
    Adorei, Simone ❤️
    Dou razão pra tudo e gostaria muito de ter lido algo assim há uns três anos
    Atras. Tenho certeza que vai ajudar muitas pessoas.


    www.ultimobiscoito.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Si!
    O que posso dizer sobre o seu texto? Me identifiquei em várias linhas e como é libertador dizer NÃO!
    Fiquei anos dentro de uma empresa seguindo regras, cumprindo funções, mas estava apenas existindo e não VIVENDO. Fiquei com medo de perder minha estabilidade e isso fez com que passasse anos me prendendo em um local que não pensou duas vezes antes de me mandar embora.
    É triste isso.. Mas depois disso comecei a fazer apenas o que me atrai e é maravilhoso =D

    ResponderExcluir

Você não precisa de um blog para comentar <3
Pode comentar a vontade, dar sugestões bater um papo comigo e fazer criticas desde que essas acrescentem alguma coisa. Sinta-se em casa, só não vale ser grosseiro tá?